02 jun 2018

Mudanças

Em 2012, dez anos após o início da WeDo, criamos o grupo WDG. A ideia foi constituir um grupo de serviços de marketing, com empresas atuando de forma segmentada e em sinergia para atender as demandas que surgiam. Faziam parte do grupo 6 empresas: WeDo, Bold, Movin, Full Trade, Nova Cenografia e Tool Case.

Sabemos que no Brasil, de acordo com pesquisa realizada naquele mesmo ano de 2012 pelo IBGE, a cada 10 empresas apenas 04 sobrevivem após 5 anos. Ao longo desses últimos seis anos marcados pela maior crise econômica da história do Brasil, eu imagino que essa estatística ainda tenha sido ainda mais difícil para as empresas. Felizmente, todas as empresas que formavam o grupo em 2012 ainda permanecem nos dias de hoje, tendo havido a incorporação de uma delas pela WeDo e a abertura de uma nova empresa de coworking chamada Fazedoria. Não é pouco perante os desafios enfrentados no mercado, especialmente o nosso.

Ao longo desse período o mercado mudou. O mundo mudou. Muitas concorrentes fecharam. A WeDo, talvez por ter passado por esse processo de segmentação, amadureceu e se transformou ao longo desse período. Criou aquela casca grossa de quem passa por momentos desafiadores e foi em frente superando todos os desafios.

Pelo lado dos clientes, tanto tempo de crise levou a uma atitude mais conservadora e menos ousada, a um fortalecimento da área de compras e a relações mais impessoais com seus fornecedores. Particularmente, acredito ampliou-se a aversão ao risco, e isso impõem um esforço ainda maior para a aprovação de soluções fora da caixa.

Mas não há tempo para reclamar. Apenas para se reinventar e usar a criatividade para seguirmos adiante rumo ao desconhecido.